sábado, 9 de fevereiro de 2013

Psiquê

Não me olhe desse jeito
olhar de quem vê defeito
tire esse olhar de mim
não me processe assim

Porque eu sou frágil
e seu julgo ágil
de primeira me condena
da fraqueza não tem pena

Não me olhe desse jeito
de quem tem direito
sobre o meu amor
e de me causar dor

Porque eu errei sim
e errar está em mim
você já fez igual
o amor é o nosso mal

Não me olhe desse jeito
de quem pede desculpa
lhe retiro toda a culpa
vá e me rasgue o peito

Porque sou fácil de impressionar
mereço um bom castigo
que você brigue comigo
e deixe de me amar

(Mas porque eu não sou
fácil de esquecer
vou te fazer sofrer
essa certeza eu lhe dou

Me absolva em seu coração
lhe prometo só amor
dorme e esquece dessa dor
me dê, Amor, o seu perdão)

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Palavras

Me apaixono pelas palavras
me perco nos gestos
e me encanto com o canto
que nasce dentro do peito

Me emociono com a beleza
das frases construídas
das palavras bem ditas
e da música que se cria

Me emociono com os olhos
lacrimosos que me olham
e com os lábios que me falam:
a  beleza está nas palavras

E as palavras desses lábios
me beijam belas e cálidas
tão belas, tão cálidas
tão cheias de amor