quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Observador


Sou um observador. Gosto de estar atento ao momento em que as coisas acontecem. Assisto a vida como a uma peça de teatro: esperando cada fala, cada reação exagerada, analisando o que acontece à minha volta. Quando um ato termina, mal consigo esperar pelo que vem a seguir. A minha vida é ver a vida dos outros.

Uma vez, quando pequeno, vi uma menina chorando, atrás de um muro, no pátio da escola. Fiquei escondido enquanto ela debulhava-se em lágrimas infantis, entretanto silenciosas, afastando as trancinhas louras de vez em quando para esfregar os olhos. Lembro como ela parecia uma boneca de louça com o rosto quebrado: linda, em seu vestido cor-de-rosa, mas incapaz de revelar um sorriso feliz.

Eu quis largar minha bola enlameada e ir até ela, olhar naqueles olhinhos castanhos e úmidos e confortá-la com um sorriso, ou se tivesse mais coragem, até um abraço rápido e tímido. Mas minhas roupas estavam sujas e eu tive medo de que ela ficasse com raiva de mim por estar observado-a.

Anos depois sentamos lado a lado num curto trajeto de ônibus. Ela me reconheceu da escola e comentou que estava de mudança antes de descer no próximo ponto e deixar para sempre a minha vida. Não tive coragem de confessar sobre aquele dia da infância, e ela nunca soube que eu a amava desde então.

Sou um observador. A minha vida é deixar a vida passar.

------------------------------

*Escrito por mim numa aula de redação no último ano de colégio.

Um comentário:

docedeclinio disse...

É o Sting!.................




Bem, ficou bem legal, bem geral e sucinto e bonito. Ótimo. Mas pq essa escrevinhação demorou tanto pra surgir se está escrita faz tanto tempo?