quarta-feira, 28 de abril de 2010

Nada com nada

Hoje não quero nada com o mundo.
Quero ficar soterrada sob uma montanha de lençois, colchas e travesseiros.
Hoje não quero nada com ninguém.
Quero ficar completamente só, sozinha, quieta.
Hoje não quero pensar em nada.
Quero esquecer toda a confusão que me atormenta.
Hoje não quero pensar no que que poderia ter sido.
Quero fingir que nada nunca aconteceu. Porque nada nunca aconteceu.
Hoje não quero ter que explicar nada.
Quero dizer o que sinto sem ser interpretada de maneira alguma.
Hoje não quero sonho, fantasia ou conto de fada.
Quero a realidade dura, crua e rasgada. Mais nada!
Hoje não quero nada com você.
Quero desistir de qualquer ideia louca que me tenha passado pela cabeça.
 
Cansei de sonhar, de fingir, de imaginar. Quero dormir, esquecer, fugir. Pular logo essa parte de sofrer e ir logo pra parte de seguir em frente como se nada tivesse acontecido. Porque afinal nada aconteceu. Foi apenas um pesadelo muito conturbado. E ainda bem que eu já acordei.
 
E isso tudo não tem nada a ver com você. Nem com ninguém. Não tem nada a ver com nada.
 
E ponto. Final.

2 comentários:

Sam disse...

sabe o que vem após o ponto final? Uma nova frase! Este não é o fim, é o recomeço!

Liz disse...

Eu tambéém!
Se descobrir me avisa como por favor!!
;*